COMENTÁRIOS SOBRE ESCOLAS DE SAMBA 2019 – [ Parte 1 ]

___ Não tem como não esquecer o histórico desfile da Paraíso do Tuiuti no ano passado e a sensacional ala dos manifantoches… Diagnóstico debochado e contundente, foi uma porrada tão forte e tão bem dada que não foi à toa que o Vampirão assim que acabou o Carnaval decretou intervenção federal no Estado. Daqui a alguns anos, quando ESSA MERDA DE MOMENTO EM QUE ESTAMOS PASSAR, esse enredo, samba e desfile, serão lembrados como um dos grandes momentos do Carnaval de todos os tempos. Leva fé.

___ Por falar em ano passado, é bom lembrar que rolou um tapetão feião e ninguém desceu pro grupo de Acesso. A Grande Rio era uma das que devia ter descido, mas aí né, meu caro, a Grande Rio é a Grande Rio… É “rúim” de descer.

___ Olha, deve ser um sentimento de querer se matar você torcer pela Mangueira e ter que aturar o enredo desse ano sendo “coxinha”, “isentão” ou bolsominion… Pra essa galera, deve doer muito ouvir esse samba que é uma aula classuda sobre o Brasil real, numa melodia dessas de encantar a alma. Sinto pena dessa gente (mentira, sinto não…)

___ E esse samba do G.R.E.S. Acadêmicos do Salgueiro – Original, hein, rapáiz… Tem uma coisa ali de um crescendo, que vai subindo, vai subindo de uma forma que na segunda vez toma a gente completamente. Acho forte concorrente porque a música na hora ali vai fazer uma diferença danada. E a Furiosa, como é chamada a bateria da Escola, vai chegar chamando na veia o alujá pra Xangô – Kaô sem caô. Vai arrepiar bonito.

___ A G.R.E.S PORTELA também tem tudo pra chegar de com força pra levar o título. O samba também é sensacional, um dos melhores, o enredo é Clara Nunes, que dispensa comentários… Mas fora isso, uma coisa que tem que ser dita é que nos últimos anos a Portela tem feito um trabalho incrível de reencontro com suas raízes, com a comunidade, e compromisso com a renovação de quadros sem perder sua essência. E isso é um tipo de coisa que não dá pra ser mais ou menos, ser mascarado… Tem que ser à vera, se não, não se sustenta. E também é algo que provoca uma onda de vibração que contagia todos os setores da vida da escola e que reverbera com força na performance dos desfiles. Os exitosos desfiles da azul e branco dos últimos anos são provas disso.

___ Pelo que parece a Acadêmicos do Sossego não vai levar a alegoria do suposto Crivela com chifres pra avenida. Embora a escola diga que não tem a ver a escultura com a lata do nobre bispo-prefeito, acho uma pena… Sossego que vem há uns cinco anos se destacando pelos sambas ousados pra caramba nas formas e abordagens.

___ Essa chuva torrencial dessa sexta-feira acabou prejudicando a GRES Unidos da Ponte que esse ano trazia a reedição do enredo Oferendas, com o samba antológico do início dos anos 80, quando a Escola era das grandes que encantavam com sua presença. Mas mesmo assim, só da Ponte estar de volta e com toda a força já vale. Além de ser uma escola super tradicional e um celeiro excelente de fazedores de samba, a Ponte pode se tornar nos próximos anos novamente mais uma referência ótima para a região da Baixada Fluminense.

___ A Mocidade Independente de Padre Miguel anunciou pra 2020 o enredo sobre a visceral Elza Soares, cria da região onde a escola existe, na Zona Oeste do Rio. Pô, podia ter sido logo esse ano né? Em meio à essa boçalidade toda no ar já seria logo um vráu pesado na cara dos caretas. Enfim…

___ “Brasil, chegou a vez de ouvir as Marias, Mahins, Marielles, Malês…”

[ heraldo hb – pitcolândia – março 2019


Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.