sobre a política em mim nesses tempos de golpe

no fundo eu queria estar falando de novo de política, acompanhando e dando meus pitacos, como faço desde moleque – mas não tou conseguindo. sério.
cada pessoa tem suas reações próprias e as minhas tão sendo as piores vendo risonhos e soltos por aí uns seres desprezíveis como eduardo cunha, aécio neves, gilmar mendes, temer, serra, moreira franco, caiado, bolsonaro, frota, malafaia, feliciano, skaf, kim catacoquinho, jucá, huck, renan, os irmão marinho, perrelas, os pastores picaretas, a bancada da bala, a cbf, os 300 que luis inácio já tinha avisado, o pato, a ponte que pára o futuro, o lado sombrio do país.
na verdade, sinto uma espécie de coroamento de um momento que, pra mim, se abriu no fatídico dia 17 de abril de 2016, na câmara federal, quando vi um lixo humano defender o execrável coronel brilhante ustra. desde esse dia é que tenho me sentido assim.
tô em manutenção. entre o punk e os vegetais.


Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *