O Super Amor

O cara vai andando pra comprar coisas de comer e pelo caminho, sem perceber, a mente sai do presente e vai vagueando, pensando em problemas, em soluções pra resolver assim que o ano engrenar de verdade, decisões, contas a pagar, pendências urgentes, situações tensas.

O moleque vai ao lado de mãos dadas, no seu jeito peculiar de andar e ver as coisas, e de repente dispara:

– Papai, você sabia que existe o Super-Amor? É, e ele é um herói que tem muitos poderes.

Cinco anos e pouco, idade típica de viver o mundo dos super-heróis e tal, e, pego de surpresa, o cara acaba por achar meio engraçado.

– É mesmo? Não sabia.

– Existe sim, papai, mas eu que inventei. Você gostou?

Voz embarga, mas ainda consegue responder, entre um sorriso e uma lágrima.

– Gostei, cara, gostei muito.

E segue andando mais leve e sentindo o privilégio de estar vivo pra ouvir coisas assim desse moleque.


Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *